trombose

5 fatores de risco para a trombose

5 fatores de risco para a trombose



A trombose é uma condição perigosa e relativamente comum. De acordo com a Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia, em cada quatro pessoas no mundo, uma morre por eventos trombóticos. A trombose é uma condição provocada pela formação de um coágulo capaz de prejudicar o fluxo sanguíneo ou, até mesmo, se desprender e se mover, resultando em embolia em órgãos como cérebro, pulmão e coração.

Existe a tombose venosa, que é o tipo mais frequente e há também a trombose arterial, mais rara. A trombose venosa acomete cerca de 180 mil brasileiros todos os anos e sua principal complicação é a embolia pulmonar. Cumpre acrescentar que ela acontece quando um coágulo de sangue obstrui uma veia. Já a trombose arterial ocorre quando o coágulo bloqueia uma artéria. As consequências mais comuns são os acidentes vasculares e o infarto.

Uma das principais formas de  prevenir a trombose é conhecer os fatores de risco e combater os apectos que são controláveis e evitáveis. Veja a seguir a lista do que realmente aumenta a propensão à trombose. Boa leitura!

Período prolongado de imobilidade

Os longos períodos acamado após cirurgias é um fator que favorece a formação de trombos. Viagens muito longas de avião, em que a pessoa não se levanta e nem movimenta os pés, também eleva as chances de trombose. Por isso, é tão importante se movimentar sempre que possível. Até mesmo quem trabalha sentado por horas seguidas, deve se levantar ao longo do dia e caminhar um pouco. Todo movimento conta!

Sexo feminino

Outro fator de risco para a trombose é ser do sexo feminino. A maior predisposição tem a ver com questões hormonais, como o uso de anticoncepcionais e tratamentos de reposição hormonal. A gestação também é um período que favorece a ocorrência de episódios de trombose.

Tabagismo

Fumar é um hábito que está relacionado com o risco aumentado de problemas vasculares, inclusive a trombose. A nicotina altera a espessura dos vasos sanguíneos, enquanto o monóxido de carbono reduz o oxigênio no sangue. Para completar, o cigarro conta com mais de 4.000 compostos tóxicos, sendo alguns deles altamente cancerígenos.

Doenças pré-existentes

Algumas enfermidades aumentam – e muito – o risco de trombose. É o caso de doenças como diabetes, hipertensão, colesterol alto, varizes e aterosclerose. Quem tem uma dessas condições clínicas, ou mais de uma delas, deve redobrar os cuidados com a saúde.

Predisposição genética

Sim! Os casos de trombose são mais comuns em pessoas da mesma família. Sendo assim, se seus avós, pais ou irmãos têm problemas vasculares, como histórico de trombose, varizes, entre outros, faça o acompanhamento da sua saúde vascular e procure um especialista caso note sintomas suspeitos se manifestando. Os sintomas podem incluir dor, inchaço, vermelhidão, calor no local afetado, sensação de peso, rigidez muscular, etc.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como angiologista e cirurgião vascular no Rio de Janeiro



Posted by Dr. Davi Cazarim in Todos
Como prevenir a trombose?

Como prevenir a trombose?

A trombose é caracterizada pela formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias importantes, principalmente nas pernas ou nas coxas. O coágulo dificulta o fluxo de sangue e provoca dor e inchaço na região.

Este problema atinge homens e mulheres, apesar de uma maior incidência em mulheres, devido a alguns fatores típicos ao organismo delas, como uso de anticoncepcionais, gravidez e menopausa.

Além desses sintomas, a trombose pode se agravar quando um coágulo se desprende e se movimenta pela corrente sanguínea, atingindo lugares importantes. Esse processo é chamado de embolia, que pode ocorrer no cérebro, nos pulmões ou no coração, por exemplo.

A trombose pode surgir após procedimentos cirúrgicos, ou pela falta de movimentação dos membros inferiores por tempo prolongado.

Tipos de trombose

A trombose pode ser classificada como aguda ou crônica. Na fase aguda, o organismo é capaz de dissolver o trombo em grande parte das vezes, sem sequelas e sem evoluir para a fase crônica.

Já na fase crônica, há uma lesão das veias no processo de dissolução do coágulo. Nesse caso, o fluxo sanguíneo fica prejudicado e provoca inchaços, varizes, escurecimento da pele e feridas.

Assim, vimos que o trombo pode provocar consequências importantes para o organismo e, dessa forma, alguns cuidados podem ser seguidos para a sua prevenção. Como veremos a seguir:

Como evitar a trombose

Evite ficar sentado e sem se movimentar por muito tempo

Para a prevenção de trombos, é indicado que a pessoa não fique sentada por longos períodos sem se movimentar. Nesse sentido, faça pequenas caminhadas de tempos em tempos, em especial durante viagens, por exemplo. Essas caminhadas estimulam a circulação sanguínea, reduzem o inchaço nas pernas e previnem a formação de trombos.

Caso não seja possível se levantar regularmente, mesmo sentado, movimente ou massageie as pernas e os pés, a cada 30 minutos. Isso ajuda a ativar a circulação. Outra técnica eficaz é rodar os tornozelos e esticar as pernas por 30 segundos.

Evite cruzar as pernas

Assim como ficar sentado por longos períodos, ficar muito tempo com as pernas cruzadas pode interferir no retorno venoso. Além disso, as mulheres devem evitar o uso contínuo de sapatos com salto alto, para prevenir a formação de trombos.

Utilize roupas confortáveis

O uso de calças e sapatos apertados é outro fator que pode favorecer a formação de trombos. Nesse sentido, recomenda-se o uso de roupas mais confortáveis e menos justas. Essa recomendação vale, em especial, para longas viagens.

Em alguns casos, e sob orientação médica, é possível utilizar meias de compressão elásticas para comprimir a pele e estimular a circulação.

Beba água e se alimente corretamente

O consumo de água é fundamental para manter o bom funcionamento do organismo. A água torna o sangue mais fluido e facilita sua circulação, impedindo a formação de trombos.

Além do consumo de líquidos, uma dieta balanceada também é importante para a prevenção da trombose. Nesse sentido, consuma alimentos que estimulam a circulação sanguínea, reduzem o inchaço nas pernas e impeçam os trombos.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como angiologista e cirurgião vascular no Rio de Janeiro!

Posted by Dr. Davi Cazarim in Todos
Estou com trombose?

Estou com trombose?

A Trombose Venosa Profunda (TVP) é a doença causada pela coagulação do sangue no interior das veias profundas – vasos sangüíneos que levam o sangue de volta ao coração – em um local ou momento não adequados (devemos lembrar que a coagulação é um mecanismo de defesa do organismo). As veias mais comumente acometidas são as dos membros inferiores (cerca de 90% dos casos).

O que causa trombose?

Geralmente, existem diversos fatores predisponentes para trombose dentre os quais os mais frequentes são:  uso de anticoncepcionais ou tratamento hormonal, tabagismo, presença de varizes, pacientes com insuficiência cardíaca, tumores malignos, obesidade ou a história prévia de trombose venosa.Outras situações são importantes no desencadeamento da trombose: cirurgias de médio e grande portes, infecções graves, traumatismo, a fase final da gestação e o puerpério (pós-parto) e qualquer outra situação que obrigue a uma imobilização prolongada (paralisias, infarto agudo do miocárdio, viagens aéreas longas, etc). Entre as condições predisponentes é importante citar ainda a idade avançada e os pacientes com anormalidade genética do sistema de coagulação.

A trombose é grave?

A TVP pode ser de extrema gravidade na fase aguda, causando embolias pulmonares muitas vezes fatais (embolia pulmonar é causada pela fragmentação dos coágulos e a migração destes até os pulmões, entupindo as artérias pulmonares e gerando graves problemas cardíacos e pulmonares), além de progressão da trombose com pioras das queixas locais. Baseado nisso se faz necessário o tratamento imediato da trombose pra evitar a evolução para um quadro de maior gravidade.

Na fase crônica, após seis meses, os principais problemas são causados pela inflamação da parede das veias que, ao cicatrizarem, podem levar a um funcionamento deficiente destes vasos sanguíneos. O que se caracteriza por um conjunto das lesões (pigmentação escura da pele, grandes varizes, inchação das pernas, eczemas e úlceras de perna) chamado de síndrome pós-trombótica. Esta complicação leva a imensos problemas socio-econômicos por ser de tratamento caro, prolongado e extremamente penoso em suas repercussões sociais.

Quais os sintomas da trombose?

A TVP  geralmente cursa com inchaço (muitas vezes em uma perna só), dores na panturrilha, sensação de peso na perna, no entanto algumas  vezes pode ser  assintomática. O diagnóstico clínico é importante, um exame clínico bem realizado ajuda a suspeição da TVP. E o exame utilizado para o diagnóstico da TVP é o Eco Color Doppler.

O tratamento é feito com substâncias anticoagulantes (impedem a formação do trombo e a evolução da trombose). Mais modernamente, e em situações selecionadas, o tratamento da TVP pode ser feito na própria residência do paciente, usando-se as heparinas de baixo peso molecular.

Tem alguma dúvida? Entre em contato conosco. Agende sua consulta, a avaliação de um cirurgião vascular é de grande importância para o diagnóstico de trombose.

Posted by Dr. Davi Cazarim in Todos